quinta-feira, 12 de maio de 2016

Diferença entre departamento e centro de custos


Todo departamento é estruturado no organograma da empresa, da mesma forma que os Recursos Humanos, a área de produção, Contabilidade e Compras. O centro de custos, por sua vez, há a divisão dentro dos departamentos segundo a necessidade da empresa ou como o contador definiu.



      Contabilidade de custos sem departamentalização

Essa contabilização é mais simples do que a separada em departamentos. Na contabilidade de custos sem a departamentalização seguem-se basicamente três passos a seguir:
  • Separar os gastos entre custos e despesas;
  • Apropriar os custos aos departamentos que deram origem, no processo de custeio direto;
  • Apropriar os gastos que não podem ser alocados aos produtos ou máquinas de maneira específica, por meio de rateio, no processo de custos indiretos.

Figura 1: contabilidade sem a departamentalização









Entre os rateios um que pode muito bem ser utilizado no exemplo é relativo à produção: o bem mais produzido também é o que consome mais e tem mais custos alocados.


      Contabilidade de custos com departamentalização

Na contabilização com departamentalização devem-se seguir os passos a seguir:
  • Separar os gastos entre custos e despesas;
  • Apropriar os custos diretos aos produtos;
  • Apropriar os custos indiretos aos seus departamentos de origem, conforme os departamentos onde ocorrem. Por exemplo, despesas com o departamento do RH deveriam ser alocadas ou rateadas para o RH e separadas das despesas mais genéricas;
  • Adotar critérios para custos indiretos dos departamentos;
  • Rastrear os custos para os departamentos que sobraram;
  • Atribuir todos os custos indiretos acumulados para os produtos, por critério de rateio.
Como se observa neste método o rateio é feito primeiramente entre os departamentos e apenas depois de acumulações e de rateio dos custos indeterminados é que se aloca o custo ao produto, como demonstra a figura a seguir:

Figura 2: contabilização com departamentalização[MARTINS, 1990]


        Observação: no quadro ocorre rateio de um departamento de serviço pra o seguinte. Os departamentos de serviços comuns apresentam custos que não podem ser identificados (diferentemente dos custos separados por departamento) e com isso, quando um departamento presta serviço para o seu seguinte faz-se o rateio, ou melhor, dizendo, a distribuição do primeiro departamento de serviço e que será acumulado aos gastos indiretos do outro departamento, até chegar ao produto final.

O modelo de departamentalização é mais indicado para fabricação com mais de um produto. Neste, ao adotar o rateio o que se faz é aproximar o custo de cada produto ao ser valor real. É de se levar em conta também, que o critério de rateio não precisa constar nas Notas Explicativas, onde há obrigatoriedade de explicações referentes à auditoria, como por exemplo, as mudanças no método de custeio. A auditoria aceita que a empresa altere o método de custeio, contudo, essa prática não deve ocorrer com frequência, uma vez que contraria o princípio da consistência.

O critério de rateio exige algumas regras básicas para a empresa. Por essa razão, o contador, consultor ou auditor deve estudar as operações empresariais e definir a que melhor se enquadrar no contexto para que no futuro próximo não seja necessário alterar.