segunda-feira, 27 de junho de 2016

Introdução à Administração


      PRÁTICAS QUE OS ADMINISTRADORES E AS EMPRESAS DEVEM LEVAR A SEUS CLIENTES

São práticas indispensáveis para a Administração, para os administradores e para a continuidade das empresas:


        Qualidade

As expectativas dos clientes sobre seu produto ou serviço devem ser atingidas e excedidas. Os administradores devem assegurar atratividade, ausência de defeitos, confiabilidade e segurança em tudo o que a organização produz.


        Custo

Os bens e serviços devem conter o valor a preços que o cliente esteja disposto a pagar. Para atingir esse objetivo, os administradores devem manter os custos sob controle, a fim de permitir que a empresa estabeleça preços justos, que cubram os custos e realizem lucros. Assim podemos definir que entre as tarefas consta a definição dos custos daquilo que irão produzir conforme o plano traçado. Segundo DRUCKER em “Os Novos Paradigmas da Administração”:
A primeira tarefa da administração é definir quais os resultados existentes no empreendimento a seus cuidados. Como pode testemunhar qualquer pessoa que já se engajou nessa questão, ela é uma das mais difíceis e polêmicas, mas também uma das mais importantes. Portanto, é função específica da administração organizar os recursos da organização visando obter resultados fora dela. Assim, o novo paradigma no qual deve se basear a administração, tanto enquanto disciplina como enquanto prática, é que a administração deve definir os resultados que espera alcançar e depois organizar os recursos da organização visando obter esses resultados [DRUCKER, 2006].


        Inovação

Os administradores devem empenhar-se constantemente para criar rapidamente novos bens e serviços competitivos que os clientes valorizem. Essa pártica é a chave para estar à frente dos concorrentes.


        Velocidade

As organizações devem responder às necessidades do mercado rapidamente, lançando antecipadamente novos produtos; entregando as encomendas aos clientes e atendendo prontamente aos pedidos deles.


      HISTÓRIA DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

        Conceito de administração

Recorrendo à literatura podemos extrair algumas definições de o que vem a ser a Administração:
Hoje em dia costumamos pensar na administração como sendo administração de empresas. Essa premissa tem origem mais ou menos recente. Ate a década de 30, o punhado de escritores e pensadores que se preocupavam com a administração - começando por Frederick Winslow Taylor (1856-1915), mais ou menos na virada do século, e terminando com Chester Barnard, logo antes da Segunda Guerra Mundial - presumia que a administração de empresas não passava de subdivisão da administração geral [DRUCKER, 2006]1.
Conforme o dicionário Aurélio, administrar é o processo de gerir, ministrar e conferir. A Administração é vista como um processo integrativo fundamental, que busca a obtenção de resultados específicos. Assim, administrar é portanto, um processo pelo qual o administrador cria, dirige, mantém, opera e controla uma organização.
Trazendo da literatura podemos definir o que é a Administração de forma mais acadêmica. É o ato de realizar coisas através de pessoas, conforme definição usada em 1979 pelo então presidente da American Management Association (Associação Americana de Administração). Acrescentando a isso tem-se a definição atual, que segundo a qual a Administração é o ato de trabalhar com e por meio de pessoas para se realizar os objetivos tanto da própria organização como quanto os de seus membros.
Um outro significado do termo descreve-o como um campo do conhecimento. Segundo essa ótica, a administração é uma disciplina organizada e formal, pesquisada e ministrada no ensino superior. O seu campo é integrativo, por natureza, trazendo aspectos relevantes de outras disciplinas e ao mesmo tempo, desenvolvendo o seu próprio campo de teorias.
Ainda existe um aspecto que envolve o campo profissional, uma carreira propriamente. Este grupo inclui todos aqueles que exercem autoridade de supervisão sobre outros. Enfoca ocupações especializadas dentro de cada área funcional, tendo como exemplo, a de marketing, finanças, recursos humanos, produção entre outras.
Outras definições de administração: “administrar é conseguir o máximo de bem estar social para a coletividade, com o mínimo de dispêndio, inclusive de tempo”.
Com esses conceitos podemos definir duas questões básicas: qual o principal objetivo de uma empresa? E seria lucro esse objetivo? A resposta é sim, porém, sem o administrador oferecer o bem estar social para a coletividade não haveria como se obter lucro (e frisamos aqui que este administrador é todo aquele que administra, quer seja formados em administração, bem como de outras áreas mas que atuem de forma gerencial). Então podemos dizer que o lucro é uma consequência da atividade administradora, por extensão.
Numa empresa tudo deve se encaixar da melhor maneira possível, a fim de que se possa satisfazer a coletividade. Disto temos que administrar é portanto, usar o bom senso também. As decisões administrativas podem ser classificadas em cinco categorias ou funções principais: o planejamento, a organização, o comando ou direção, a coordenação e o controle. Administra é pois, um processo de planejar, organizar, comanda, coordenar e controlar a aplicação dos recursos humanos, os materiais, a área financeira (seus recursos) e informacionais, visando com isso tudo à realização de objetivos.
Na universidade ouvimos tantos conceitos semelhantes a estes que uma hora ou outra chegamos a seguinte dúvida: A administração é mais uma arte que uma ciência; bem como é mais uma ciência que uma arte ou tanto uma ciência como uma arte?


1DRUCKER, Peter. “Os Novos Paradigmas da Administração.” Site da Informal.com. 2006. www.informal.com.br (acesso em 2 de abril de 2013)