quarta-feira, 27 de abril de 2016

Exercícios respondidos: custeio por absorção e variável


Com base na Contabilidade de Custos se propõem encontrar o resultado de cada mês da empresa “x” e posteriormente da empresa “y”, utilizando os dois métodos de custeio, o Custeio Variável e o Custeio por Absorção, contudo, nestes exemplos ocorre a presença de despesas, variáveis e fixas. Os dados para a resolução são os seguintes:


  • Sem estoque final.
A indústria “x” produziu, obteve receitas e os seguintes estoques finais abaixo. Nota-se que as vendas nos dois primeiros meses foi igual e que não ocorre estoque final no ultimo mês:
Quadro 1
Período
Produção (u)
Vendas (u)
EF (u)
Outubro
8.000
7.000
1.000
Novembro
16.000
7.000
10.000
Dezembro
4.000
14.000
0
A empresa “x” constatou os seguintes custos variáveis unitários de matéria-prima utilizada na produção e de materiais indiretos:
Quadro 2
CV
(R$/unidade)

MP
R$ 320,00

Energia
R$ 0,00
Unidade
M indireta
R$ 55,00
R$ 375,00
Também se apurou custos fixos de produção acumulados em cada mês, cujos totais estão abaixo:
Quadro 3
CF
(R$/mês)

Mão de Obra Direta
R$ 3.500.000,00

Depreciação
R$ 112.000,00

Engenharia
R$ 50.000,00
Ano
Diversos
R$ 916.000,00
R$ 4.578.000,00
E estas são as despesas da empresa durante os meses, sendo as despesas fixas acumuladas durante cada período e as variáveis unitários à quantidade vendida:
Quadro 4
Despesas fixas
R$
Mês
Honorários da Diretoria
R$ 870.000,00
Mês
Salários Pessoal Vendas
R$ 716.000,00
Mês

R$ 1.586.000,00




Despesas variáveis

R$ 74,00
A empresa “x” efetuou todas as vendas com o Preço unitário de R$ 1.080,00.
Resolução:
O primeiro procedimento a ser feito é calcular o custo de produção de cada mês, seguindo ou o Custeio por Absorção ou pelo Custeio Variável. Aqui optou por mandar todos os custos ao estoque, localizando o valor da produção e deste retirando o valor do estoque final.
Quadro 5
Outubro







Vendas:

R$ 7.560.000,00





Custos de produção


Variáveis

R$ 3.000.000,00

Fixo

R$ 4.578.000,00

Produção acabada

R$ 7.578.000,00





(-) Estoque final de produtos acabados

R$ 7.578.000,00
=
R$ 947,25
Unitário
8.000

1.000
Unidade


(R$ 947.250,00)





CPV

R$ 6.630.750,00

(-) despesas fixas

R$ 1.586.000,00

(-) despesas variáveis
R$ 518.000,00



R$ 2.104.000,00


No mês de outubro a indústria “x” vendeu sete mil unidades ao preço unitário de 1.080 reais e ficou ainda com um estoque final de mil unidades ao custo de R$ 947,25 cada uma, o que resultou no Custo dos Produtos Vendidos de R$ 6.630.750,00.
Efetuando os mesmos cálculos no mês seguinte têm-se os valores abaixo:
Quadro 6
Novembro







Vendas:

R$ 7.560.000,00





Custos de produção


Variáveis

R$ 6.000.000,00

Fixo

R$ 4.578.000,00

Produção acabada

R$ 10.578.000,00
(total)


R$ 661,13
(unitário)




(+) EI de produtos acabados
R$ 947.250,00
Outubro
(-) EF de produtos acabados




(R$ 6.611.250,00)





CPV

R$ 4.914.000,00

(-) despesas fixas

R$ 1.586.000,00

(-) despesas variáveis

R$ 518.000,00



R$ 2.104.000,00

No mês de novembro produziu-se mais, mas vendeu-se o mesmo montante de produtos, o que aumentou o estoque final, mas em compensação, o custo unitário diminuiu em relação ao período anterior.
No ultimo mês a empresa vendeu como nunca, embora tenha produzido menos que nos período anteriores. O resultado disso é apresentado abaixo:
Quadro 7
Dezembro







Vendas:

R$ 15.120.000,00





Custos de produção


Variáveis

R$ 1.500.000,00

Fixo

R$ 4.578.000,00

Produção acabada

R$ 6.078.000,00
(total)
4200000/70000

R$ 1.519,50
(unitário)




(+) EI de produtos acabados
R$ 6.611.250,00
Novembro
(-) EF de produtos acabados


30000 unidades *R$ 60/u

R$ 0,00





CPV

R$ 12.689.250,00

(-) despesas fixas

R$ 1.586.000,00

(-) despesas variáveis

R$ 1.036.000,00



R$ 2.622.000,00

E após os cálculos dos três meses a empresa, é apresentada a Demonstração de Resultados do Exercício pelo Custeio por Absorção:
Quadro 8
RESUMO, PELO CUSTEIO POR ABSORÇÃO (em R$)

Outubro
Novembro
Dezembro
Total
Vendas
7.560.000,00
7.560.000,00
15.120.000,00
30.240.000,00
(-) CPV
(6.630.750,00)
(4.914.000,00)
(12.689.250,00)
(24.234.000,00)
(=) Lucro Bruto
929.250,00
2.646.000,00
2.430.750,00
6.006.000,00
(-) Despesas




Variáveis
(518.000,00)
(518.000,00)
(1.036.000,00)
(2.072.000,00)
Fixas
(1.586.000,00)
(1.586.000,00)
(1.586.000,00)
(4.758.000,00)
(=) Lucro
(1.174.750,00)
2.646.000,00
2.430.750,00
6.006.000,00
Estoque Final
947.250,00
6.611.250,00
0,00
0,00
Pelo custeio acima se entende que o mês de maior lucro foi novembro, devido à produção elevada e que consistiu em menor custo unitário. E agora para comparar, os cálculos referentes ao Custeio Variável.
Quadro 9
RESUMO DOS RESULTADOS, PELO CUSTEIO VARIÁVEL (DIRETO) em R$

Outubro
Novembro
Dezembro
Total
Vendas
7.560.000,00
7.560.000,00
15.120.000,00
30.240.000,00
(-) CPV
(2.625.000,00)
(2.625.000,00)
(5.250.000,00)
(10.500.000,00)
(-) D Variáveis
(518.000,00)
(518.000,00)
(1.036.000,00)
(2.072.000,00)
(=) Margem de C.
4.417.000,00
4.417.000,00
8.834.000,00
17.668.000,00
(-) CF
(4.578.000,00)
(4.578.000,00)
(4.578.000,00)
(13.734.000,00)
(-) D Fixas
(1.586.000,00)
(1.586.000,00)
(1.586.000,00)
(4.758.000,00)
(=) Lucro
(1.747.000,00)
(1.747.000,00)
2.670.000,00
(824.000,00)
Estoque Final
375.000,00
3.750.000,00
0,00
0,00
No cálculo do Custeio Variável o CPV apurado é inferior em todos os meses em relação ao custeio anterior, bem como o valor do estoque final. Também deve ser notada a presença da Margem de Contribuição, que responde ao usuário da informação se o produto é capaz de contribuir no pagamento dos custos fixos.
  • Com estoque final.
A indústria “y”, por sua vez, apresentou estoque final em todos os três meses e os seus dados são estes:
Quadro 10
Período
Produção (u)
Vendas (u)
EF (u)

Outubro
12.000
8.000
4.000

Novembro
11.000
12.000
3.000

Dezembro
8.000
9.000
2.000

Conforme os dados apresentados, a empresa produziu mais no primeiro mês e em contrapartida, apresentou o pior desempenho em vendas. A seguir, a empresa apresentou os seus custos e despesas e o preço de seus produtos:
Quadro 11
CV
(R$/unidade)

MP
R$ 340,00

Energia
R$ 0,00
Unidade
M indireto
R$ 50,00
R$ 390,00



CF
(R$/mês)

MOD.
R$ 3.200.000,00

Depreciação
R$ 95.000,00

Engenharia
R$ 65.000,00
Ano
Diversos
R$ 850.000,00
R$ 4.210.000,00



Preço de venda/unidade

R$ 1.200,00



Despesas fixas
R$
Mês
Honorários da Diretoria
R$ 700.000,00
Mês
Salários Pessoal Vendas
R$ 750.000,00
Mês

R$ 1.450.000,00




Despesas variáveis
5
0,05

(%) s/ vendas

E com estes dados é possível efetuar os cálculos mensais do CPV:
Quadro 12
Outubro







Vendas:

R$ 9.600.000,00





Custos de produção



Variáveis

R$ 4.680.000,00

Fixo

R$ 4.210.000,00

Produção acabada

R$ 8.890.000,00





(-) Estoque final de produtos acabados


R$ 8.890.000,00
=
R$ 740,83
Unitário
12.000

4.000
Unidade


(R$ 2.963.333,33)





CPV

R$ 5.926.666,67

Observou-se CPV no valor de R$ 5.926.666.67 e a seguir o cálculo das despesas:
Quadro 13
(-) despesas fixas


R$ 1.450.000,00
(-) despesas variáveis


R$ 480.000,00




R$ 1.930.000,00
Em novembro a empresa apresentou estes resultados:
Quadro 14
Novembro










Vendas:


R$ 14.400.000,00









Custos de produção



Variáveis


R$ 4.290.000,00


Fixo


R$ 4.210.000,00


Produção acabada


R$ 8.500.000,00
(total)




R$ 772,73
(unitário)







(+) EI de produtos acabados
R$ 2.963.333,33
(Outubro)
(-) EF de produtos acabados







(R$ 2.318.181,82)






CPV


R$ 9.145.151,52


(-) despesas fixas


R$ 1.450.000,00


(-) despesas variáveis


R$ 720.000,00






R$ 2.170.000,00



E por fim, no último mês a empresa terminou com os seguintes cálculos:
Quadro 15
Dezembro









Vendas:


R$ 10.800.000,00








Custos de produção



Variáveis


R$ 3.120.000,00


Fixo


R$ 4.210.000,00


Produção acabada


R$ 7.330.000,00
(total)




R$ 916,25
(unitário)





(+) EI de produtos acabados
R$ 2.318.181,82
(novembro)
(-) EF de produtos acabados







(R$ 1.832.500,00)








CPV

R$ 7.815.681,82

(-) despesas fixas


R$ 1.450.000,00


(-) despesas variáveis


R$ 540.000,00




R$ 1.990.000,00


E semelhante ao exercício anterior; segue a Demonstração do Resultado pelo Custeio por Absorção e o Custeio Variável:
Quadro 16
RESUMO, PELO CUSTEIO POR ABSORÇÃO

Outubro
Novembro
Dezembro
Total
Vendas
9.600.000,00
14.400.000,00
10.800.000,00


34.800.000,00
(-) CPV
(5.926.666,67)
(9.145.151,52)
(7.815.681,82)


(22.887.500,00)
(=) Lucro Bruto
3.673.333,33
5.254.848,48
2.984.318,18


11.912.500,00
(-) Despesas










Variáveis
(480.000,00)
(720.000,00)
(540.000,00)


(1.740.000,00)
Fixas
(1.450.000,00)
(1.450.000,00)
(1.450.000,00)


(4.350.000,00)
(=) Lucro
1.743.333,33
5.254.848,48
2.984.318,18


11.912.500,00
Estoque Final
2.963.333,33
2.318.181,82
1.832.500,00

0,00













E por fim, o demonstrativo contábil, mas apurado com o custeio direto:


RESUMO DOS RESULTADOS, PELO CUSTEIO VARIÁVEL (DIRETO)

Outubro
Novembro
Dezembro
Total
Vendas
9.600.000,00
14.400.000,00
10.800.000,00


34.800.000,00
(-) CPV
(3.120.000,00)
(4.680.000,00)
(3.510.000,00)


(11.310.000,00)
(-) D Variáveis
(480.000,00)
(720.000,00)
(540.000,00)


(1.740.000,00)
(=) MC
6.000.000,00
9.000.000,00
6.750.000,00


21.750.000,00
(-) CF
(4.210.000,00)
(4.210.000,00)
(4.210.000,00)


(12.630.000,00)
(-) D Fixas
(1.450.000,00)
(1.450.000,00)
(1.450.000,00)

(4.350.000,00)
(=) Lucro
340.000,00
3.340.000,00
1.090.000,00


4.770.000,00
Estoque Final
1.560.000,00
1.170.000,00
780.000,00

0,00
Para concluir, “nas demonstrações à base do Custeio Variável obtém-se um lucro que acompanha sempre a direção das Vendas, o que não ocorre com o Custeio por Absorção. Mas, por contrariar a Competência e a Confrontação, o CV não é válido para Balanços de uso externo (MARTINS, 1990)”. Contudo, nada impede deste custeio ser utilizado com finalidade gerencial e no final do exercício, ser adaptado ao Custeio por Absorção.


Bibliografia
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas, 1990.