terça-feira, 19 de abril de 2016

O que é Administração Financeira

      

A Administração Financeira resume-se praticamente em cuidar do dinheiro, das finanças. Segundo Souza e Menezes (1997) A administração financeira reúne meios que permitem o exercício de procedimentos gerenciais com elevado grau de eficiência e efetividade. O processo de planejamento financeiro, por exemplo, é uma grande fonte de contribuição para o sucesso organizacional.
De maneira incorreta efetuada pelas empresas, abrange a administração financeira como apenas sendo o cuidado com os recursos, máquinas, uma vez que também apresentam valores monetários por detrás e interfere no resultado final e principalmente o lucro.
O verdadeiro administrador financeiro não cuida apenas das finanças: precisa observar os recursos que são trabalhados pelos outros profissionais, no aspecto do investimento, se preocupando também com a origem financeira - o chamado fluxo de caixa – e não fica apenas trabalhando sobre os recursos monetários.
Para tanto, o administrador financeiro deve procurar descobrir se o investimento que a empresa planeja executar é realmente viável no contexto em que estão atuando e se este trará retorno para a organização, caso o contrário, o dinheiro ficaria investido em algo parado e que não traria rentabilidade ou retorno.
Outro ponto que a administração financeira também busca – e a procura de dinheiro, isto é, a obtenção de financiamentos, em que a empresa contrai financiamentos para garantir seus investimentos. Logo, a administração financeira observa os recursos, os financiamentos, os investimentos, o lucro, o ativo e faz o planejamento com base nas informações obtidas nesses dados.
É no ativo que o administrador financeiro obtém as informações relativas aos investimentos: caixa, bancos, estoques, clientes, duplicatas a receber, e devem observar todas estas contas, pois representa os investimentos da empresa e formam a responsabilidade do administrador.
Este profissional trabalha com a gestão em finanças, diferentemente do tesoureiro, que apenas cuida das contas a pagar e a receber. O administrador financeiro olha uma conta no ativo e pede os detalhes desta à contabilidade, pois somente tendo como base um único valor não se consegue ter conclusões ou mesmo diagnósticos suficientes para se fazer provisões ou mesmo de saber quais valores são relevantes.
No final, o administrador financeiro executa tarefas como a figura do controller, contudo sem precisar ser formado em Ciências Contábeis.
Frequentemente o administrador financeiro deve se perguntar de alguns assuntos, tais como um possível aumento de imobilizado. Aumentar imobilizado é aumentar o total de investimentos e geralmente isso é algo bom, caso venha a trazer uma rentabilidade suficiente. Com isso, apenas observando o imobilizado é possível já se saber uma coisa: o investimento.
Se o administrador sabe que algum investimento é muito bom, este pode retirar do capital (do Patrimônio Líquido) e caso não seja suficiente, pega dos financiamentos (empréstimos). Já parou para pensar por que no balanço o ativo sempre é igual ao passivo? Tomando como um exemplo a compra de um veículo de cujo valor seja de R$ 10.000,00, contraindo-se um empréstimo (passivo) com o mesmo valor. Aqui estão os conceitos de Origem e de Aplicação. A origem representa de onde saiu o recurso para a compra do bem ou do direito – no caso, o veículo - e a aplicação representa em que o dinheiro foi investido, isto é no carro.
Tem-se então que a origem representa os financiamentos da empresa e a aplicação, para onde foi alocado. Portanto, no ativo o administrador financeiro obtém as informações relativas aos investimentos e no passivo, vê os financiamentos, permitindo por fim na Demonstração de Resultado do Exercício chegar à conclusão se o investimento valeu a pena para a empresa (se deu lucro).
Por exemplo, se tem ativo de dez mil reais e presenciou-se um lucro de mil, obteve-se um rendimento de dez per cento sobre o capital investido.


      Objetivos da administração financeira

O planejamento financeiro efetuado pela administração da empresa, bem como todo trabalho de controle e verificação efetuada pela referida área oferece uma grande quantidade de dados gerenciais que podem (e devem) ser empregados para o crescimento e desenvolvimento da organização no mercado.
Resumindo-se o que foi abordado tem-se o seguinte: O objetivo maior do administrador financeiro é obter o melhor lucro para a empresa. O lucro remunera o investimento do dono da empresa ou do acionista e quanto maior for o retorno, melhor. Com isso, é possível traçar o objetivo de maximizar o retorno para o acionista o máximo possível. Logo a razão do trabalho é para:
  • Garantir o retorno compatível com o risco assumido. Ser de acordo com o risco significa proporcionar o retorno ao risco. Em outras palavras, se o risco do investimento é alto, o retorno também deve ser. Por exemplo, se vai investir um milhão de reais na empresa A e um milhão na empresa B, sendo que na primeira o risco é menor (por exemplo, nesta pode levar a obter 20% de retorno), na empresa B, em compensação, o retorno deve ser superior, uma vez que o risco também é maior.
  • Proporcionar resultados econômicos e financeiros de longo prazo positivos. Isso significa resultados econômicos – lucro – e financiamentos – caixa – juntos no longo prazo, cerca de cinco a dez anos para poder ter crescimentos constantes. O objetivo é lucro, pois todo o investimento deve trazer uma remuneração competente.
  • Observar as funções sociais: impostos, empregos, meio ambiente, educação entre outros. Os impostos, empregos e toda a distribuição de resultados bons para a sociedade são funções sociais.
Investiu-se um milhão de reais num ano e obteve rendimento de 10% ao longo desse período, terá 100.000 reais ao ano. Teve 10% de rendimento, tem riscos, mas é menor do que a taxa Selic do governo, que sem riscos pode proporcionar um rendimento maior e sem esquentar a cabeça do empresário. O que é melhor? Investir na empresa, comprando equipamentos e ter no final do ano retorna de 10% sobre todo este processo e com risco de 12 ou 12%ou investir no governo com base na Selic, sem riscos e ter um retorno maior. É melhor sem riscos.

É preferível ir ao banco e optar pela Selic. Uma decisão errada por parte do administrador financeiro pode acabar quebrando a empresa. Logo se entende que se tal investimento (como abrir uma empresa) não dá lucro, deve terminar o que está fazendo para não perder mais dinheiro ainda.