sábado, 6 de agosto de 2016

Quocientes de rentabilidade



Um exemplo de cálculo de quociente de rentabilidade é a divisão efetuada entre o prazo médio de contas a receber (como duplicatas) pelo prazo médio de contas a pagar exigíveis em curto prazo.

Equação ‑1: Quociente de Rentabilidade
Nesta fórmula aplica-se a toda vida financeira da empresa, o que pode ser facilitada quando se entende suas partes. Aqui entendemos como estas tais partes as disponibilidades, os saldos excedentes, os estoques e o controle.
As disponibilidades. Qual é o objetivo da empresa ter disponibilidades? As disponibilidades têm a função existencial de permitir a empresa efetuar transações. Se a empresa precisa pagar R$ 25.000,00 em sete dias não é necessário que no momento presente a organização já tenha esta quantia em seu caixa, pois se acredita que até o dia do vencimento vais conseguir gerar recursos para pagar a dívida, uma vez que continuará com suas operações e certamente vais receber dos clientes.
Mas apenas por precaução, seria bom para a empresa já manter este valor pronto e antecipado mesmo antes do dia do vencimento. Para a empresa fazer o plano de saldo de caixa necessário se faz o Fluxo de Caixa Futuro.
Para a empresa é vital saber se os recursos que tem em caixa são suficientes para financiar as suas atividades durante o período em que não recebem dos clientes, bem como saber que o giro do caixa segue as movimentações do período. O administrador não pode apenas fazer retiradas do caixa sem ter ideia do giro e se os novos investimentos valerão a pena, afinal como explicam SOUSA & MENESES (1997):
Na administração do caixa encontra-se uma importante fonte de melhoria da produtividade dos recursos alocados. Devem-se procurar ganhos, mesmo que pequenos, em toda a cadeia de valores da empresa, isto é em todas as etapas de geração e distribuição dos produtos e em todos os seguimentos gerenciais [SOUZA & MENEZES, 1997].
Os saldos excedentes. Quando a empresa tem valores a mais, pois um dia vai precisar desse dinheiro. Contudo não em rentável ter muito recurso parado e por esta razão o ideal é deixar uma margem de capital como precaução e investe o resto ou devolve o resto do dinheiro (capital) para o dono ou acionista. Caixa a mais representa sobra de liquidez e falta de rentabilidade.
O controle. Em toda empresa ou negócio que seja o seu responsável, dono ou presidente deve ficar atento em fazer valer alguns princípios organizacionais. Um destes princípios é a segregação de funções. Segregar funções é dividir as tarefas. Quando numa organização qualquer uma mesma pessoa dentro da organização é responsável por registrar, contabilizar, receber ou fazer outras funções com as contas a receber e acumula a isso a função de também ser responsável pelas contas a pagar ocorre à falta de segregação de funções, fator que facilita a ocorrência de fraudes.
Outro fato comum e que pode acontecer é a liberação de recursos sem todas as autorizações competentes. Para ganhar tempo apenas uma pessoa assina (o chefe ou o gerente) e com isso a dívida pode ser paga antes da hora ou sem necessidade. O controle de um modo geral enfatiza que não se deve pagar nada sem aprovação e a presença de registros, notas fiscais e assinaturas, dificultando assim, de haver desperdícios e erros, tanto intencionais ou não.
Os Estoques. Cabe a área de materiais de o almoxarifado ser a responsável pelos estoques da empresa. O almoxarifado é responsável pela catalogação, verificação e proteção dos ativos do estoque. A área de vendas quer que o estoque de produtos acabados seja alto, pois isso economiza tempo nas vendas, pois apenas é preciso retirar o produto do estoque de produtos acabados e ir direto para a venda, além de que quanto maior o estoque, menor será a programação da área de vendas, uma vez que o produto já estaria disponível. Tem-se então que:
  • A área de produção gosta ou prefere estoque de matéria-prima alto, pois proporciona sobra;
  • A área de compras também prefere um estoque com alta quantidade de produtos acabados para não precisar ter que se comunicar e frequentemente ter que fazer novos pedidos de compras para continuar suas vendas e ganhar mais comissões;
  • Apenas o departamento financeiro quer que o estoque tenha poucas quantidades, pois sabe que muito estoque representa dinheiro da empresa parado e perdido caso a procura no mercado de repente seja por outro produto ou mesmo na época errada. Esse movimento da demanda faz o giro do estoque ficar mais lento. Por esta razão, por exemplo, que as lojas de roupas típicas do verão mantêm apenas o estoque mínimo necessário dessas peças durante o inverno e também fazem mais promoções, para eliminar as peças remanescentes que sobraram.
Para manter o estoque baixo é preciso a empresa instruir os departamentos a combinar suas ações; com o apoio da alta administração e com a demonstração dos objetivos e motivos de cada área em favor do todo. 

Bibliography
SOUZA, Almir Ferreira; MENEZES, Edgard J. Carbonell, Estratégia, crescimento e a administração do capital de giro, 2º sem. 1997