terça-feira, 9 de agosto de 2016

Custos, volume e lucro econômico de compras do estoque



Dentro da dinâmica dos estoques existem os custos que são direta e indiretamente (inversamente) relacionados ao volume produzido e vendido e a manutenção de unidades pela empresa. Os custos diretamente relacionados são aqueles que aumentam à medida que o volume do estoque aumenta. Com isso, são deste tipo o custo com a mão de obra (mais trabalhadores), da empilhadeira, o custo de armazenar (exige mais espaço conforme as quantidades aumentam) e o custo da obsolescência, referente a itens que foram armazenados por longos períodos e, que não servem mais para a empresa.

São também deste grupo o custo de oportunidade e de capital (uma vez que se sacrifica a rentabilidade para ter mais estoque e que geralmente significa ter mais dinheiro parado) e o custo do seguro, que é proporcional ao volume do estoque.
Já os custos inversamente relacionados ao volume de unidades do estoque apresentam resultado oposto ao do grupo acima explicado, ou seja, se as quantidades aumentam nos estoques, o custo tende a diminuir. Assim, quanto mais estoque, mais custo vai cair.
Pertencem a este tipo os seguintes custos: descontos por grandes lotes de compras (quanto mais comprar, mais desconto terá), horas extras, Set Up na produção, margens de contribuição perdidas (uma vez que toda venda seja atendida) e os gastos adicionais de unidades perdidas, transportadas e ordenadas.
Para o melhor aproveitamento a empresa deve saber equilibrar os custos diretos e inversamente relacionados ao volume dos estoques, uma vez que pro mais rápido que seja o giro do estoque ainda é o item de menor liquidez dentro do ativo circulante e quanto amais este demorar a ser realizada, mais tempo a empresa terá que resistir com outras fontes de recursos, afinal, embora os custos possam cair em virtude do volume, não deixam de existir.


        Controle sobre os estoques

A empresa deve manter controle sobre todos os itens mais significativos dos seus estoques, tais como a verificação da ocorrência de unidades obsoletas (obsolescência), promoções, movimentação formal (com autorização expressa), segregação de funções (isto é, se há divisão entre as funções e funcionários) e os inventários periódicos sobre as unidades físicas. As ações básicas do controle sobre os estoques também se concentram sobre os itens de pequeno giro (slow movie).
Um inventário feito pela administração financeira ocorre uma vez ao ano e se apresentar diferenças grandes aumenta-se a sua criação para quatro vezes ao ano ou ainda passa a ser feito mês a mês. Também é possível fazer um inventario apenas dos itens mais problemáticos. Para isso, observa-se a frequência do referido problema.
Quem faz o inventário físico é geralmente gente da área de materiais ou mesmo de fora desse departamento, como se fosse uma espécie de auditoria.


        Lote Econômico de Compras (LEC)

Foi visto o que é um custo inversamente e diretamente relacionado ao volume de unidades constantes nos estoques da empresa. Apenas para lembra: diretamente aumenta conforme o volume aumenta e inversamente sofre alteração inversa a alteração no volume. Neste tópico será feita uma equação para encaixar as duas variáveis de custos: é o fator econômico de compras, cuja fórmula é apresentada a seguir.
Equação ‑1: Lote Econômico de Compras
Por meio desta equação é possível ao administrador saber quantas unidades deve comprar para diminuir ou minimizar o seu custo, onde:
  • S: representa a demanda em unidades por um determinado produto;
  • O: equivale ao custo unitário inversamente relacionado ao volume do estoque e;
  • C: representa o custo unitário diretamente relacionado ao volume do estoque.
E com os conceitos em mãos, partimos agora para um exemplo mais prático: uma empresa necessita de trinta mil unidades de uma determinada matéria-prima num período, sendo que seus custos de estoques unitários são os seguintes: emissão de pedido de R$ 1,80, manutenção do estoque de R$ 4,10, seguro de R$ 2,50 e desconto por lotes de R$ 1,20. Calcular o LEC.
Resolução: o primeiro a se fazer é separar os custos do estoque conforme são influenciados pelo volume. Assim temos os dados para a resolução, a seguir:
Quadro ‑1: Custos diretamente e inversamente relacionados ao volume do estoque
Custo do estoque:
Se o estoque aumenta o custo:
Logo o Tipo de custo é:
Emissão de pedido
Cai
O
Manutenção do estoque
Aumenta
C
Seguro
Aumenta
C
Desconto por lotes de compras
Cai
O
E após essa análise o que precisamos é aplicar os valores à fórmula do Lote Econômico de Compras:
Logo, a fórmula do LEC indica o volume de estoque para que a empresa tenha o menor custo deva ser de 165 unidades. Ou seja, se comprar uma peça a mais ou a menos o custo vai aumentar.