sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Planejamento e Orçamento - parte 1



O principal objetivo da Contabilidade é a geração de informações à administração da empresa sobre o patrimônio e controle. No orçamento, o que é preciso é saber utilizar as informações para aplicá-las e, para tanto, quem o elabora é o próprio contador da empresa. 

O contador é responsável por produzir as informações que constarão no orçamento, como tributos, lucros e custos. Por isso, o contador de custos e de orçamento tem uma remuneração relativamente alta. É claro que o controller também pode fazer o trabalho de elaboração do planejamento e orçamento, desde que tenha também seja contador e; da mesma forma o gerente e o tesoureiro da empresa, uma vez que eles contem as informações sobre o fluxo de caixa.
Neste tópico veremos alguns aspectos sobre o planejamento financeiro e a elaboração de orçamentos dentro de uma empresa.


    O planejamento, seus tipos e objetivos

Enquanto por um lado um profissional de contabilidade trabalha apenas com as rotinas, balancetes e demais afazeres contábeis; do outro é responsável por criar e fechar o orçamento da empresa. Qual a principal diferença entre eles e o que o planejamento financeiro tem a ver com isso? Numa empresa, o profissional contábil que trabalha apenas com as rotinas isto é, informações do passado; o administrador financeiro, com provisões e cenários futuros por meio de orçamentos financeiros, de investimentos e estratégicos.
No planejamento estratégico o planejador financeiro, controller ou contador responsável ocorre à expectativa de desempenho da empresa num momento futuro. Formaliza-se através de um plano que envolve objetivos, recursos, prazos e controle. Dentro do planejamento estratégico existe o planejamento financeiro, ligado ao fluxo de caixa da empresa. Um planejamento pode ser de longo ou de curto prazo

      Controle Orçamentário

O planejamento estratégico das empresas somente surtirá os resultados esperados se houver controle. Sem controle não haverá utilidade para o plano de objetivos. O controle poderá ser efetuado através da emissão de relatório que demonstres a comparação dos valores orçados e reais, apontando as variações favoráveis e desfavoráveis.
Os orçamentos são elaborados por áreas funcionais da empresa, seguindo a mesma estrutura dos relatórios que detalham as receitas e os gastos reais, bem como para os orçamentos de recursos e de caixa. Isto ocorre para que se possam comparar os valores (ou quantidades) orçados contra os valores efetivamente realizados. Da mesma forma, o relatório que aponta as variações entre o orçado versus o real, deverá seguir a mesma estrutura, possibilitando que cada área tome medidas de correção para atingirem os objetivos traçados.
A divulgação dos resultados reais em comparação com o orçado deve ser feita com frequência para as áreas envolvidas, de forma que o controle possa ocorrer.
O orçamento anual deverá ser acompanhado mensalmente para os itens mais significativos ou com maior volatilidade, ou trimestralmente se não ocorrer grandes variações. Apesar do controle mensal, o relatório deve conter, também, as comparações e variações acumuladas.
Vejamos alguns exemplos a seguir com a aplicação prática de um orçamento de vendas e de volume de uma empresa.