quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Cenários na tesouraria

O cenário é um conjunto de vetores que definem, num primeiro instante, o contexto em que estamos inseridos.
Esses vetores, que possuem força, direção e sentido, modificam o contexto, gerando uma nova circunstância que nos é incerta.
Podemos compreender o cenário de duas formas:
Diagnóstico:
Percepção da situação atual, por meio de:
  • a) coleta de dados (vetores);
  • b) organização de dados e
  • c) análise de dados.
Prognóstico:
Percepção da situação futura, por meio de previsão das possíveis resultantes da somatória dos vetores, analisados no diagnóstico.




      Alternativas

São os processos disponíveis que nos permitem atingir os objetivos visados pela Tesouraria e suas unidades.
Cada alternativa deve mostrar a maneira mais adequada, dentro dos aspectos: técnico, jurídico, político e empresarial, para se atingir os objetivos da Instituição Financeira.




      Objetivos

Os objetivos são os valores qualitativos e quantitativos visados pela Instituição Financeira. São definidos em função do contexto em que a organização atua ou queira atuar. Evidentemente, há vários níveis de objetivos que devem estar compatíveis entre si.
O desígnio último de qualquer empresa deve ser otimizar o retomo, a longo prazo, dos recursos empregados dentro de um quadro juridicamente viável e politicamente aceitável. O lucro é a recompensa capaz de motivar o investidor a assumir determinado risco.
  • Não chega a bom destino aquele que não sabe de onde parte.
  • Não chega a bom destino aquele que não sabe para onde vai.
  • Não chega a bom destino aquele que não sabe de onde parte e para onde vai.
A Administração da Tesouraria é a fixação e a busca dos objetivos inerentes aos recursos monetários da Instituição Financeira.