quinta-feira, 9 de março de 2017

Custos e ciclo contábil


Muita gente tem o costume de chamar qualquer encargo como sendo despesa. Se uma pessoa física precisa comprar um conversor digital para sua televisão de tubo diz que tem uma despesa. Até aí tudo bem, mas quando falamos em entidades (do posto de vista da contabilidade), a coisa fica um pouco diferente. Para esta ciência um pagamento de manutenção de um equipamento pode ser um custo ou uma despesa, dependendo de sua relação à produção de receitas. De início informamos que custo e despesas são conceitos diferentes, pois o primeiro só ocorre para que hajam receitas, ao passo que o segundo é independente da atividade fim da empresa. Nesta postagem, no entanto, não trataremos das despesas mas sim, nos tipos de custos.

CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS E CICLO CONTÁBIL

Devemos ter em mente que se o desembolso ocorre rotineiramente, é uma despesa, como o pagamento de água, aquisição de materias de escritório, pagamento de aluguel do setor administrativo. Por outro lado, os pagamentos de aluguel da área de produção (se não paga aluguel, não tem onde produzir, logo, não tem o que vender e assim, não haverá receita), bem como o salário do pessoal que pôe a mão na massa, seja na prestação de serviços, venda (quando a empresa só trabalha com revendas) e da produção (para indústrias).
Vamos ver aqui algumas classificações e tipos de custos.

A - CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS


Primeiro Agrupamento:
São os custos em relação ao produto e classificam-se em diretos e indiretos.

Custos Diretos: são aqueles que podem ser identificados perfeitamente com uma unidade de produto. Exemplo: matéria-prima, mão-de-obra direta.

Custos Indiretos: são aqueles que para calcular custos dos produtos necessitam ser rateados. Exemplo: Aluguel, energia elétrica.


Segundo Agrupamento:
São os custos em relação ao volume de atividade e classificam-se em fixos e variáveis.

Custos Fixos: custos que não variam em relação ao volume de produção. Exemplo: aluguel, depreciações.

Custos Variáveis: custos que variam em relação ao volume de produção. Exemplo: matéria-prima, mão-de-obra direta.


Terceiro Agrupamento:
Custo Primário: É a soma da matéria-prima mais a mão-de-obra direta.

Custo de Transformação: É a soma de todos os custos de produção exceto a matéria-prima e beneficiamentos adquiridos, ou seja, é o custo do esforço de transformação realizado pelas empresas.


B) CLASSIFICAÇÃO DAS DESPESAS:

Despesas Fixas: despesas que não variam em relação ao volume de vendas. Exemplo: aluguel, depreciações das áreas de Vendas e Administração.

Despesas Variáveis: despesas que variam em relação ao volume de vendas. Exemplo: comissões de vendas, frete de entrega de mercadorias ao cliente.


C – CICLO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS


Vamos identificar o ciclo da contabilidade de custos através da apresentação dos lançamentos em forma de razonetes.

  1. Aquisição de matéria-prima por R$ 300.000,00, a prazo.
  1. Requisição R$ 120.000,00 de matéria-prima pelo setor produtivo.
  1. Lançamento da folha de pagamento. No valor de R$ 80.000,00.
  1. Apropriação dos custos de mão-de-obra direta de R$ 80.000,00.
  1. Lançamento dos custos indiretos de fabricação de R$ 50.000,00.
  1. Alocação dos custos indiretos de fabricação de R$ 50.000,00.
  1. Transferência da produção terminada para depósito de produtos acabados no valor de R$ 248.000.
  1. Venda de produtos que custaram R$ 210.000,00.

Segue a solução:



Então é isso e até a próxima.