quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Sincronização da produção

A programação é baseada nestes nove princípios. O desempenho do sistema está diretamente relacionado com os níveis de inventário e que para a redução de inventário (melhor desempenho econômico) sem que o throughput seja prejudicado as despesas operacionais aumentem, a solução seria a manufatura sincronizada que significa movimentação rápida e uniforme de material de acordo com a demanda do mercado.

As ferramentas principais para a programação são: o sistema OPT e a técnica Drum-Buffer-Rope. Tambor, dita o ritmo da produção. Pulmões, inventários. Corda, mecanismo que força todos os elementos do sistema a não ultrapassarem o ritmo definido pelo tambor, mesmo quando a capacidade não esteja sendo totalmente utilizada.


Contabilidade de custos sob a ótica da teoria das restrições

A teoria das restrições desqualifica a contabilidade de custos tradicional como sistema de mensuração e informação eficaz para tomada de decisão. A contabilidade de custos está obsoleta. O conceito de custo de produto deixa de existir. A decisão é fundamentada nos resultados operacionais globais.
Novo ambiente de produção. Como os tempos mudaram a tecnologia mudou as indústrias, alguns pontos da contabilidade de custos mudaram. A mão de obra direta não é mais paga por peça produzida e sim na existência dos trabalhadores. As demais despesas (overheads) representam um percentual importante na despesa operacional. A despesa operacional não pode ser rateada ao produto. O resultado do processo de rateio de despesas fixas as peças individuais e lucro liquido por produtos é ilógico. Não podemos fazer por produto e sim da empresa como um todo. Para Goldratt o orçamento caracteriza-se apenas como uma construção de lucros e perdas baseado no lucro liquido da fábrica mas por meio dos produtos individuais. Assim não sendo válido.
Abandono do conceito de custo de produto. Com a implantação da teoria das restrições o ganho sendo o valor da venda menos o valor da matéria prima e que a despesa operacional não é colocada para por produto. Assim a contabilidade de custos tradicional automaticamente desaparece. O custeio do estoque não tem sentido. Como a despesa operacional não pode ser alocada ao produto torna a forma existente fictícia. ABC um esforço inútil. Goldratt critica duramente os sistemas de custeio full cost dando enfoque aos conceitos de custos de baseados em atividades por exemplo. A comunidade financeira está no caminho errado. Goldratt entende que a comunidade financeira ainda permanece voltada para o full cost e rateios.

A contabilidade apesar de tudo necessária. Mesmo com todas as críticas Goldratt entende a importância da contabilidade de custos. Considera que qualuqer medida não financeira é mesmo que a anarquia na empresa, ou seja, a não-existência da contabilidade deixa a empresa fragilizada para as medidas físicas. Por isso a necessidade da junca da teoria das restrições com o modelo da contabilidade que suporte completamente a gestão empresarial.