segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Gestão econômica e teoria das restrições

Em Israel nos primórdios dos anos 70 o físico Goldratt desenvolveu para um amigo um plano para sua fábrica de gaiolas. Este planejamento ou esta fórmula transformou-se na base do software “Optimized Production Technology”. Durante a evolução do software, Goldratt formalizou uma série de princípios que construíram o pensamento da OPT.
Resumindo, o que autor denomina meta de organização igual a ganhar mais dinheiro adequando a gestão da produção. Toda a empresa ao tentar atingir a sua meta apresenta restrições. A teoria de Goldratt propõe a reunião de um conjunto de procedimentos que auxiliarão na otimização da produção.


Medidas de desempenho


A teoria das restrições condena o uso prioritário das medidas físicas para avaliação desempenho, e volta-se para utilização de medidas financeiras. A meta da empresa na teoria das restrições é que cada decisão gerencial deverá ser orientada de maneira a ajudar a empresa a atingir sua meta de ganhar dinheiro. Sendo que o seu sistema de gerenciamento de produção deverá incentivar cada funcionário a tomar decisões que auxiliem a meta almejada, ganhar dinheiro.

Medidas de alcance da meta, sendo a meta o maior objetivo da empresa, a teoria das restrições estabelece parâmetros que ajudam a medição do grau de alcance da mesma. O lucro líquido mede o quanto de dinheiro a empresa está gerando. Trata-se de um medidor absoluto.

Retorno sobre o investimento, é definido como um lucro líquido dividido pelo inventário é um medidor relativo. Fluxo de caixa,é considerado mais como uma situação de sobrevivência da empresa do que medidor de alcance da meta. Parâmetros norteadores das ações para alcance da meta, esses parâmetros estão voltados para a medição do desempenho global da empresa.

Devem guiar as ações operacionais para o cumprimento das metas. Goldratt os cita como medidas operacionais globais e deve relacionar-se com as medidas de alcance da meta que foi estabelecida pela empresa. São:

  • - Ganhou ou Thoughput: é o indice pelo qual o sistema gera dinheiro através de vendas, o ganho correspondente ao valor da venda sem relacionar os valores pagos fornecedores não importando quando aconteceu a compra.
  • - Inventário: corresponde somente aos valores que foram pagos aos fornecedores. É valorizado apenas pela matéria prima paga ao fornecedor. A teoria das restrições não observa critérios de mensuração de recursos.
  • - Despesa Operacional: É todo o dinheiro que o sistema gasta para transformar o inventário em ganho. Todo o dinheiro gasto que não possa ser guardado para o futuro faz parte da despesa operacional. Também os valores de bens que faziam parte do inventário ou desgastados no período. Exemplo: maquinário.


          Modelo de decisão da Teoria das Restrições


Na teoria das restrições o processo de decisão compreende as seguintes etapas:

  • Identificar as restrições do sistema. Todo sistema deve ter, pelo menos, uma restrição. Normalmente terá um número pequeno de restrições.
  • Decidir tirar o máximo de proveito das restrições, obtendo o melhor resultado possível dentro das restrições. Exemplo: o mercado que está restrito a empresa deverá entregar pontualmente 100% de sua produção.
  • Subordinar qualquer outra coisa a decisão anterior. Significa que os demais recursos não restrição devem ser utilizados na medida exata demandada pela forma empregada de exploração de restrições.
  • Elevar as restrições do sistema. Deve-se elevar ou superar a restrição acrescentando maior quantidade do recurso escasso ao sistema. Há quebra na restrição e desempenho da empresa subirá até determinado limite passará a ser limitado por algum outro fator nesse processo a restrição foi mudada.