sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Modelo de informação

Através deste modelo se forma a base fundamental para a implantação do sistema de informação, essa é um ferramenta de grande importância aos gestores. Catelli (2001) a interação entre os modelos de decisão e informação dá-se em dois momentos: no planejamento, execução e controle; no equacionamento do resultado.

É importante lembrar que na implantação do modelo de informação, devem-se levar em consideração os princípios e valores da empresa e também suas crenças. Não podemos desconsiderar os resultados planejados e os realizados que devem estar detalhadamente explicados

      Controladoria

A controladoria é uma área da empresa cuja responsabilidade é coordenar de forma cadenciada e metódica, os diversos setores da empresa e suas informações sobre gestão econômica, não eximindo dos gestores de área a responsabilidade pelos seus resultados, mas corrobora na otimização desses resultados.
Em relação a contribuição dos gestores de área Catelli (2001) afirma que:
as responsabilidades dos gestores de área vão além de suas atividades de resultados operacionais, abrangendo os conhecimentos de gestão econômica, financeira e patrimonial daquele setor o qual está inserido”.



      Organização e gestão de informações

A controladoria tem a funcionalidade de staff na gestão de uma organização, haja vista que os resultados de cada área, apesar de otimizados pela ação da controladoria, necessitam de uma consolidação de informações para a visão do todo e tomada de decisão.
Podemos resumidamente dizer que os objetivos da Controladoria são:
  • A promoção da eficácia organizacional;
  • A viabilização da gestão econômica;
  • Promoção da integração das áreas de responsabilidade.
Tendo estes objetivos como alicerce na gestão, os resultados econômicos das áreas serão de acordo com as metas e condições estabelecidas, no foco da Gestão Econômica, cadenciada sistemicamente.
Podemos definir que o processo de atuação da Controladoria em uma empresa pode ser compreendido pelo quadro abaixo:
Quadro 1: Requisitos do planejamento


      Apoio á avaliação de desempenho

A avaliação de desempenho exercida pela controladoria é um apoio as avaliações realizadas pelos gestores, que por sua vez, avaliam os indivíduos, suas áreas e a cadeia hierárquica. A controladoria avalia os setores, os gestores, sua própria área e a empresa como um todo.


      Avaliação de resultados

Como citado no parágrafo anterior, à controladoria avalia o desempenho da empresa como um todo, sendo esta avaliação, a elaboração de análise de resultado econômico financeiro dos produtos e serviços da empresa.


      Gestão de Informações – TI

Cabe a controladoria as funções de determinar o modelo e padrão de informações, na gestão do banco de dados do sistema de informações da empresa (setor de Tecnologia da informação). O modelo de gestão segue padrões de informações e integrações entre os setores, no sentido de gerar informações relevantes ao padrão da Gestão Econômica.

      A execução das atividades

A controladoria no exercício de suas atribuições considera dois vértices fundamentais na execução de suas atividades: Processos de Gestão e Sistema de Informações.


      Processo de gestão

A atuação da controladoria tem que ser de maneira metódica, visando atender os objetivos da Gestão Econômica, para isso é necessária a execução das seguintes etapas:
  • Planejamento estratégico, operacional e programação: É quando são realizados ensaios de cenários futuros, visando antecipar possíveis resultados, aplicando no planejamento operacional, aquele que desempenhará melhor resultado, seguindo de uma programação previamente estudada e avaliada diante de outras possibilidades.
  • Execução: A aplicação da programação das atividades é a execução do planejado propriamente dito.
  • Controle: A mensuração por meio de análises de desempenho, de resultado, econômico financeiro, etc. O controle é feito por meio de comparações com padrões estabelecidos, considerando e determinando as variáveis e o desvio admitido para possível atuação de uma análise criteriosa.


      Sistema de informações

Para atender os padrões de informações e assertividade nas tomadas de decisões sob o modelo da Gestão Econômica, a controladoria se utiliza do sistema de informações, que por sua vez deve contemplar:
  • Simulações de cenários
  • Orçamentos
  • Padrões
  • Realizado
Tais informações corroboram aos gestores tomadores de decisão à:
  • Induzi-los a tomada de decisão correta
  • Apuração do resultado real da empresa e possibilidade de projeções sólidas
  • Apuração de resultados operacionais, econômico financeiro, de produtos e serviços.

      Quadro síntese da Controladoria

Podemos sintetizar a ação da controladoria no seguinte quadro abaixo:
PROCESS
Quadro 2: Quadro síntese da Controladoria


      Eventos, gestão e modelos de decisão

Evento segundo Hendriksen (1989:16)
um evento é uma ocorrência, um fenômeno ou uma transação, o qual é separado para ser observado e ter uma melhor interpretação semântica do que a mensuração de ativos e passivos. No entanto, somente certas características dos eventos podem ser mensuradas e reportadas”.
Um evento pode ser entendido como um conjunto de transações, cujos atributos lhe dão forma e consistência, sendo que os principais eventos estão relacionados com os objetivos fins da organização. Os eventos econômicos alteram a situação patrimonial da empresa, seus efeitos são medidos monetariamente, são previsíveis, portanto podem ser estruturados num sistema de informação e refletem nos modelos de decisão, já que dizem respeito a desempenho da organização. Por tanto, o estudo sobre os eventos leva à definição do modelo de decisão, onde deve refletir impactos operacionais, financeiros e econômicos. Gestão é o processo de decisão da empresa, baseado em um conjunto de conceitos e princípios coerentes entre si, visando garantir a missão da empresa. Esse conjunto determinados modelo de gestão. O modelo de gestão é formado através das crenças e valores dos acionistas e são refletidos em princípios que dirigem a atuação dos gestores. Os principais objetivos são: assegurar a redução de risco, garantindo que a empresa cumpra a sua missão; assegurar que todas as energias e esforços estejam direcionados na mesma direção, além de um ambiente motivador, e assegurar o monitoramento de que a empresa está cumprindo sua missão, focando seus esforços para execução de acordo com o planejado e realinhando em caso de desvios. Os principais princípios que norteiam o sistema de gestão são: poder e responsabilidade, estilo, critérios de avaliação de desempenho, regras para sistema de informação, e interação entre acionistas e gestores.
Os Modelos de Decisão objetivam simplificar e facilitar a compreensão das relações, reduzindo assim a quantidade de variáveis existentes a um número passível de manipulação.
Toda organização é constituída e se desenvolve a partir de decisões que, no seu conjunto, singularizam a sua identidade e determinam cada uma de suas opções.
Num ambiente econômico caracterizado pela escassez de recursos, são as decisões, tomadas em todos os níveis da organização, que determinam ou não a utilização adequada de tais recursos para a consecução dos seus objetivos. É, portanto, nas decisões e nas ações desencadeadas pela empresa que encontramos o caminho para a obtenção da eficácia da organização.
Por outro lado, a obtenção da eficácia está condicionada ao direcionamento integrado das decisões tomadas pelos diversos gestores, convergindo para os objetivos da organização.
As decisões devem ser sistematizadas por um processo de tomada, ocorre tanto pela necessidade de buscar outros caminhos
Segundo Machado (1997, p.86)
um modelo de gestão é um conjunto de princípios emanados das crenças e valores da empresa que direcionam as decisões e ações dos gestores, cujo impacto se verificará diretamente no patrimônio da organização.”. O modelo de gestão determina o processo de gestão da organização, definindo a forma como este deve ser operacionalização nas suas fases de planejamento. Execução e centro e. É o modelo de gestão que define as autoridades e responsabilidades, papéis e posturas, critérios de avaliação e estilo de gestão.
De acordo com o trecho acima o modelo de gestão se reflete puramente do objetivo pelo qual a organização foi criada e os caminhos que quer seguir.
Os estudos de Guerreiro (1989), Almeida (1996) e Santos (1995). Convergem na estruturação do processo decisório nas seguintes fases:
  • Caracterização da necessidade de decisão: fase de definição do objeto da decisão
  • Definição do objetivo: o desisor define exatamente os fins a que deseja atingir.
  • Definição e obtenção de informações relevantes: etapa de definição e obtenção de informações sobre as variáveis que devem ser consideradas no processo de tomada de decisão.
  • Formulação das alternativas: formuladas as diversas opções de ação que solucionam o problema.
Avaliação das alternativas:
O modelo de decisão do GECON tem as seguintes diretrizes básicas, de acordo com Parisi e Nobre (apud Catelli, 1999):
  • Deve incorporar os aspectos comportamentais estabelecidos pelas crenças e valores do subsistema institucional da empresa, devendo sempre prevalecer sobre os aspectos comportamentais individuais dos gestores;
  • O lucro econômico é visto como a melhor medida da eficácia empresarial, sendo que o desempenho dos gestores é avaliado pelo resultado econômico que atinge em relação ao previamente estabelecido.
  • O modelo de decisão deve ser único, devendo ter como pressuposto o método do custeio variável, apurar a margem de contribuição em função dos aspectos econômicos e financeiros dos eventos e em conformidade com o processo físico/operacional, e estar harmonizado com a missão de cada atividade da empresa e com a missão da empresa como um todo;
  • Deve ser utilizada uma metodologia normativa que explore o comportamento da empresa, em vez de estudar detidamente os processos mentais dos administradores.
Os modelos de decisão permitem que as consequências das várias alternativas sejam avaliadas antes de tomar a decisão, possibilitando ao divisor escolher aquela que apresente os melhores resultados. Constituem, assim, um procedimento estruturado, no qual as diversas variáveis que impactam a decisão podem ser organizadas e examinadas de modo sistemático e consistente, levando em consideração as variáveis relevantes para a avaliação de cada alternativa, visando à escolha daquela que melhor atenda aos objetivos da empresa.
Os modelos de decisão agem como elementos de indução e motivação dos gestores no processo decisório.

O modelo de decisão sob a ótica da gestão econômica, além de induzir a eficácia, permite que o desempenho dos gestores seja avaliado segundo sua contribuição para a geração do resultado global da organização.