sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Salvamento automático


Muitas vezes formatamos várias células numa planilha ou inserimos muitos parágrafos num documento de texto e por um problema qualquer o computador é desligado e perdemos tudo. Pois é para evitar isso que preparamos esse tutorial sobre dicas e tecnologia e informática.
Não sei se isso já aconteceu com você: imagine-se que você digitou várias folhas em seu TCC, ou mesmo efetuou muitas alterações em várias partes de um texto muito grande e nem lembra mais onde foram. Mas por azar, de repente a energia sofre uma queda e a sua máquina é desligada. Por menos maus, não houve qualquer problema com seu HD, placa-mãe nem nada disso, mas quando você foi abrir seu texto viu que a versão que tem é a do último salvamento, cerca de uma meia-hora antes de da luz acabar, e que também é meia-hora antes de muita coisa que você alterou. E aí? Senta e chora. Então essa dica é para uma próxima vez: o salvamento automático.
Assim como outras suítes de escritório, o LibreOffice tem configurações de salvamento de arquivos que vem como padrão em sua instalação, o que em outras palavras significa dizer que ocorrem salvamentos automáticos periódicos.
Essas configurações (no LibreOffice) podem ser alteradas pelo usuário e, muitas vezes, como exemplificamos, podem salvá-lo de um retrabalho terrível e desanimador, quando pequenos incidentes acontecem. Quando eu usava o Microsoft Office Word, por exemplo, não me preocupava em salvar as coisas pois os arquivos eram salvos a cada quinze minutos. Era só torcer para que nada de ruim acontecesse antes de completar quinze minutos.
Para personalizar esse salvamento no LibreOffice (independentemente de qual programa esteja usando, seja Writer, Calc, Impress, Draw, Base), vá ao menu Ferramentas e escolha Opções... Na caixa de dialogo das Opções, expanda a seção Carregar/Salvar, clicando sobre o sinal de “de triângulo invertido” e selecione a opção Geral.
Na opção Salvar diminua esse tempo de dez para 5 minutos ou menos, caso ache necessário. Assim, em casos de incidentes como queda de energia ou até fechamento por engano, você conseguirá recuperar o máximo de informações do seu arquivo.
Com essa alteração simples seu documento será salvo sempre que se passarem cinco minutos, sem que você tenha que efetuar um único movimento. Então, já é algo bem mais seguro, a menos que prefira diminuir o tempo de intervalo, mas isso pode dificultar o fluxo de trabalho, uma vez que a cada coisa que faça ou pare, o programa fica imobilizado para efetuar o salvamento. É, cinco minutos está de bom tamanho.
E se quiser ter mais segurança, selecione outras opções, como por exemplo:
● Salvar o documento automaticamente também,
● Sempre criar cópia de backup.
A cópia de backup é salva com extensão .bak. Toda vez que uma nova cópia é feita, a anterior é substituída, o que não deixa acumular tranqueiras, digo, arquivos antigos, na sua máquina.
Pronto! Agora você não mais passará por esse problema.
Mas vale destacar uma coisa aqui a respeito das cópias de backup: Nas distribuições baseadas em Debian essa cópia fica na pasta oculta .config/libreoffice/4/user/backup, que geralmente pode ser vista (deixa de ser oculta) pelo comando de teclas Control H.
Caso considere trabalhoso toda vez ter que desocultar a pasta para encontrar seu arquivo de cópia, é possível modificar a configuração. Para mudar isso vá ao menu Ferramentas, escolha Opções … Em Caminhos usados pelo LibreOffice selecione Backups e clique no botão Editar…, localizado na parte de baixo da janela. Abre-se a caixa de dialogo para selecionar o caminho. Então escolha o local onde deseja que as cópias dos arquivos do LibreOffice sejam salvas, de preferência um caminho curto e que você nunca o altera com frequência (por exemplo, você não vai querer indicar uma pasta que vira e mexe você renomeia, apaga, recorta e cola em outro lugar) e que não precise reexibir com um Control H qualquer.
Então é isso. É uma forma de se proteger contra eventuais problemas e é muito prática e simples. Apenas para terminar, o presente tutorial baseia-se no texto escrito por Eliane Domingos de Souza, da Comunidade LibreOffice, feita por ela à revista LibreOffice Magazine, edição número 17, publicada em junho de 2015.
Eliane Domingos de Sousa, conforme a descrição na revista, é Empresária, Sócia das empresas EDX Informática e EDX Coworking. Membro da fundação alemã The Document Foundation, entidade mantenedora do projeto LibreOffice. Eleita em 2014 para o Conselho da The Document Foundation, onde exerce a função voluntária de Vice Presidente,. Colaboradora voluntária da Comunidade LibreOffice, Comunidade SL-RJ, Blog da Comunidade SempreUpdate, Blog iMasters, organizadora do Encontro Nacional LibreOffice e do Ciclo de Palestras Software Livre do SINDPD-RJ. Fomentadora das tecnologias livres. Editora LibreOffice Magazine.