quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Controle de estoque com o LibreOffice Base - parte 1

Quando eu estava cursando o quarto semestre da Graduação em Ciências Contábeis da Universidade de Mogi das Cruzes tive uma disciplina chamada Auditoria dos Sistemas Computadorizados. Pelo nome era de se esperar que os alunos fossem desafiados a analisar o funcionamento de algum sistema computadorizado para poder detectar suas fraquezas e que poderiam contribuir para a existência de erros ou fraudes. Não foi nada disso. O objetivo da disciplina era mostrar aos alunos o básico do funcionamento do Microsoft Office Access, um motor de banco de dados.

No decorrer do semestre aprendemos seus fundamentos, que iam desde a criação de tabelas até a finalização dos relatórios. No entanto não vimos funções mais avançadas ou mesmo o uso de fórmulas para poder obter informações com o cruzamento de dados de fontes diferentes.
Mas não pudemos nos queixar, uma vez que serviu para entender pelo menos como funciona a lógica de um banco de dados, que consiste em se agrupar dados conforme o seu tipo de informação. Por exemplo, a tabela de dados de clientes tem a estrutura para se alocar os grupos de informações que são relativas ao cadastro de clientes, como por exemplo nome, endereço, telefone.
É claro que não vimos o foco da disciplina, mas aprendemos um pouco de como funciona um banco de dados. Mas apenas como funciona um banco de dados da Microsoft que por acaso, é um software proprietário e bem caro, se comparado ás alternativas gratuitas disponíveis no mercado.
Por esta razão me pareceu de bom proveito montar um programa em outro programa de banco de dados, a saber, o LibreOffice Base. No entanto, como abemos que é sempre bom nos apoiar nos trabalhos daqueles que sabem mais do que nós, resolvi em vez de criar um passo a passo na montagem de um programa com o Base, testar o tutorial de uma pessoa que o usa, e de preferência, de uma versão mais antiga, para ver se não haveria quebra de funcionalidades. Por esta razão, os textos que mostrarei não são meus, mas de Ronaldo Ramos Júnior1, escritos para a Revista LibreOffice Magazine, na edição número 14, de dezembro de 2014.
Então sem mais delongas, vamos ao tutorial dele com algumas observações minhas e assim mostrar as funcionalidades do LibreOffice Base em uso prático para a criação de um banco de dados para controle de estoques.

Introdução

Nesta primeira parte mostraremos a construção do banco de dados. Vale destacar que a intenção deste tutorial, além de ajudar o usuário a construir uma ferramenta para controle de estoque, é também a de orientar em como utilizar as ferramentas básicas do LibreOffice Base para a construção de um banco de dados eficiente e gratuito, livre de qualquer licença de uma empresa proprietária. Assim, a proposta além do aprendizado é o desenvolvimento da técnica do trabalho, o que permitirá a qualquer um a desenvolver o seu próprio banco de dados, conforme suas necessidades e sem ter que pedir permissões.
O assunto será dividido em 2 partes ou mais partes, conforme o tamanho do tutorial.
Dentre as ferramentas objetiva-se a Criar mais para os produtos, armazenar clientes fornecedores, etc; e sobre tabela; Criar consultas informações nossos dados, como informações sobre informações determinado registro em outra tabelas; Relacionar essas tabelas, ou seja, dizer para o banco que temos mais informações sobre determinado registro ou tabela; Criar consultas para se extrair informações relevantes; Criar um relatório para o inventário de produtos, o que servirá como controle final e; Criar formulários para se trabalhar de maneira intuitiva.
O objetivo não é o de apresentar fórmulas complexas, muit pelo contrário. Destina-se a mostrar para pessoas leigas em LibreOffice Base que dá sim para criar um programa funcional sem grandes complicações, basta seguir o tutorial.
Embora tenha uma aparência menos amigável e ainda não disponha de certos recurso que dispõe o Microsoft Access (e que deixam o trabalho mais intuitivo) o LibreOffice Base ainda é excelente ao oferecer ferramentas simples, porém poderosas e que tragam resultados surpreendentes para aqueles que se aventuram a desmistificar esse mundo da armazenagem de dados.


Criando o banco de Dados

Independentemente de qual seja a versão do seu LibreOffice ou até mesmo do sistema operacional da sua máquina (podendo dar problema apenas caso não tenha uma versão Java na máquina ou um JDK) existem apenas três passos para se criar o banco de dados que vamos utilizar no decorrer do tutorial. E cabe aqui uma observação: qualquer um que já tenha trabalhado e conheça o mínimo do MS Accsess vai saber pelo menos criar um banco de dados no Base, formar algumas tabelas, formulários e relatórios, pois os caminhos são praticamente os mesmos.
Para começar, abra o LibreOffice Base e na caixa de dialogo Assistente de banco de dados que aparecerá você selecionará a opção Criar um novo banco de dados > Banco de dados incorporado > HSQLDB incorporado.
Após essa fase clique em Próximo (parece instalação de programas no Windows) para continuar. Já na tela seguinte marque as opções a seguir destacadas:
● Sim, registre o banco de dados para mim e, (pois diferentemente dos outros programas LibreOffice, em que primeiro montamos o documento, editamos tudo e só no final é que o salvamos, aqui salvamos primeiro dando um nome e uma localização, de forma semelhante ao MS Access).
● Abrir o banco de dados para edição. Clique em Concluir. (com isso podemos de fato trabalhar com o banco de dados).
O registro é necessário para efeitos de localização e organização dos dados e a segunda opção permite que o banco seja aberto para edição assim que for salvo.
● Coloque o nome do banco como estoque e salve numa pasta de fácil localização e com isso já teremos o arquivo em nosso computador, pronto para receber nosso banco de dados.
É muito difícil que algo dê errado aqui e ao terminar, o LibreOffice Base vai abrir um banco novo para que seja possível criar as tabelas e manipular os dados de acordo com as nossas necessidades.

1Ronaldo Ramos Júnior - Tecnólogo em Informática para Negócios e pós graduando em Engenharia de Sistemas. Trabalha há mais de dez anos como instrutor na modalidade "in company" e recentemente como desenvolvedor com foco em e-commerce.