terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Fundamentos da DMPL


Bem vindos de volta ao Essenziale e nesta postagem continuaremos a com a nossa série de postagens acerca da Análise de Balanços apresentaremos nesta alguns aspectos sobre a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido.

    DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO - DMPL

Demonstra a movimentação ocorrida, durante o exercício social, nas diversas contas componentes do patrimônio líquido. Indica o fluxo de uma conta para outra e a origem e o valor de cada acréscimo ou diminuição no patrimônio líquido durante o exercício. A demonstração indica claramente a formação de todas as reservas e o cálculo dos dividendos obrigatórios (1).
Lei 6.404/76:
Art. 186. A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados discriminará:
I – o saldo do início do período, os ajustes de exercícios anteriores e a correção monetária do saldo inicial;
II – as reversões de reservas e o lucro líquido do exercício;
III – as transferências para reservas, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período.
§ 1o Como ajustes de exercícios anteriores serão considerados apenas os decorrentes de efeitos da mudança de critério contábil, ou da retificação de erro imputável a determinado exercício anterior, e que não possam ser atribuídos a fatos subsequentes.
§ 2o A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados deverá indicar o montante do dividendo por ação do capital social e poderá ser incluída na demonstração das mutações do patrimônio líquido, se elaborada e publicada pela companhia (BRASIL, Art. 186, Lei 6.404, 1976).
A seguir apresentamos a estrutura básica da DMPL:
Conforme explica o Conselho Regional de Contabilidade do estado de São Paulo, em sua publicação Demonstrações Contábeis – estruturação e normas:
A demonstração das mutações do patrimônio líquido é a demonstração contábil destinada a evidenciar, num determinado período, a movimentação das contas que integram o patrimônio da Entidade (2).
Esse demonstrativo contábil mostra o saldo inicial, a movimentação e o saldo final do capital social, os lucros acumulados e as reservas de capital. Segue a seguir o quadro proposto pelo (2) para mais esclarecimentos:
Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido

CAPITAL REALIZADO AUTORIZADO
RESERVAS DE CAPITAL
RESERVAS DE REAVALIAÇÃO
RESERVAS DE LUCROS
LUCROS ACUMULADOS
TOTAL
CAPITAL
CAPITAL. À REAL.
CORR. MONET
ÁGIO
AÇÕES TESOURARIA
SUBVENÇÕES. INVESTIMENTOS
ATIVOS PRÓPRIOS
ATIVOS DE CONTR.
LEGAL
ESTATUTÁRIA
LUCROS A REAL.
RET. EXPANSÃO


Saldo em 16/2/2010
XXX

XXX
XXX

XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
Ajustes de exercícios anteriores, mudança de crédito contábil












XXX
XXX
Imposto de Renda












(XXX)
(XXX)
Aumento de capital em / /
XXX
(XXX)



(XXX)







XXX
Aquisição de ações próprias com reserva de ágio na subscrição




(XXX)








(XXX)
Subvenções, incentivos fiscais e IR





XXX







XXX
Reversão e transferência de reservas






(XXX)
(XXX)


(XXX)

XXX
-
Atualização monetária


XXX
XXX
(XXX)
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
Lucro líquido do exercício














Destinação do lucro líquido do exercício em reservas e dividendos








XXX
XXX
XXX
XXX
(XXX) (XXX)
- (XXX)
Saldo em / /
XXX
(XXX)
XXX
XXX
(XXX)
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
XXX
Conforme se pode notar, a demonstração apresenta os grupos de contas do Patrimônio Líquido (capital social, reservas de capital, de reavaliação, de lucros e lucros acumulados), divididos ainda em seus subgrupos.




Bibliografia
1: CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO, Demonstrações comtábeis: estruturação e normas, 2001
2: TAKATORI, Ricardo Sussumo, Análise de Balanços, 2014