segunda-feira, 3 de abril de 2017

Índices de Liquidez de uma seguradora


Segundo Iudícibus (2012):
Este tópico engloba os relacionamentos entre as contas do balanço que refletem uma situação estática de posição de liquidez ou o relacionamento entre fontes diferenciadas de capital.
Para fazer a análise da evolução dos índices de liquidez primeiramente coletam-se os dados das contas dos demonstrativos contábeis e secundariamente aplicam-nos as fórmulas apresentadas a seguir.
Para Matarazzo (2011), os relatórios de análise devem ser elaborados como se fossem dirigidos a leigos, ainda que não o sejam, isto é, sua linguagem deve ser inteligível por qualquer mediano dirigente de empresa, gerente de banco ou gerente de crédito. As demonstrações financeiras apresentam-se carregadas de termos técnicos e suas notas explicativas são feitas exclusivamente para técnicos, a tal ponto que permitem frequentemente manipulações.
Liquidez Imediata
Utiliza-se o índice de Liquidez Imediata (LI) para obter o valor que expressa a composição do índice de liquidez imediata. Utiliza-se a seguinte fórmula:
LI = disponível / Patrimônio Líquido
A referida equação tem por resultado expressar a fração de ativos que mais rapidamente são conversíveis em moeda corrente que a empresa dispõe para saldar cada R$ 1,00 de suas dívidas. Em regra geral, é desejável a tendência do “quanto maior melhor”.


ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Liquidez imediata
LI = DISPONÍVEL/PL
2,11
2,17
2,38
1,88
0,95
Para este trabalho a liquidez imediata foi dividida em dois modos: um que relacionada a capacidade de pagar dívidas para com os sócios (PL) e a forma tradicional, sobre o passivo exigível em curto prazo:


LI Tradicional= Disponível / Passivo Circulante


Segundo Neto (2012), a equação tradicionalmente aceita pela contabilidade demonstra o percentual das dívidas de curto prazo com liquidez imediata. Esse percentual geralmente não é elevado, pois as empresas não costumam manter um saldo muito alto de recursos monetários em caixa. Uma situação com alta concentração de recursos expressa nesse índice demonstra que a organização estaria com caixa parado, inativo, o que corrobora em falta de negociações.
Iudícibus (2013) explica que este índice revela o quanto a empresa dispõe de caixa e equivalentes de caixa para liquidar suas dívidas a curto prazo, naquele momento. O autor ainda acrescenta, sugerindo que devido ao passivo circulante ter títulos a vencer em até 365 dias, a utilização mais adequada desse índice seria calcular o saldo a valor presente ou fazer a divisão pelo montante total que a empresa pagaria naquele momento, numa única parcela, pois provavelmente obteria um desconto.
ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Liquidez imediata tradicional
LI (tradic.)= DISPONÍVEL/PC
0,72
0,78
0,78
0,67
0,33


Liquidez Seca
A Liquidez Seca objetiva-se a obter o valor disponível para quitar dívidas sem o item menos líquido do ativo circulante. Para a composição do índice de liquidez seca utiliza-se a seguinte fórmula:
LS = AC - Estoque / Passivo Circulante


A liquidez seca é calculada deduzindo-se os estoques do ativo circulante e dividindo-se pelo passivo circulante. Este índice evidencia quanto à empresa possui de Ativo Líquido para cada $ 1,00 de Passivo Circulante, o que resulta o entendimento de “quanto maior melhor”.
Esta é uma variante muito adequada para se avaliar a situação de liquidez da empresa. Eliminando-se os estoques do numerador, excluem-se as influências e distorções que a adoção deste ou daquele critério de avaliação de estoques poderia acarretar, principalmente se os critérios foram mudados ao longo dos períodos.
ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Liquides seca
LS = (AC-ESTOQUE)/PC
1,22
1,28
1,27
1,12
0,79
No entanto, há mais contas do ativo circulante que não são tão líquidas e que podem ser eliminadas: as despesas antecipadas. Assim tem-se a segunda forma de cálculo.
LS2 = AC – Estoque – Desp Antec/ Passivo Circulante


Ainda assim, permanece o problema dos prazos do ativo circulante (no que se refere aos recebíveis) e do passivo circulante. Em certas situações, pode-se traduzir num quociente bastante conservador, visto a alta rotatividade dos estoques. O quociente apresenta uma posição bem conservadora da liquidez da empresa em determinado momento, sendo preferido pelos emprestadores de capitais [NETO, 2012].
Conforme Neto (2012) o índice de liquidez seca determina a capacidade que a empresa tem de pagar suas dívidas a curto prazo, utilizando seu ativo de curto prazo, porém considerando apenas as contas monetárias, ou seja, disponível e valores a receber.
Assim, demonstrado por Iudícibus (2013) esse índice é o mais adequado para avaliar a situação de liquidez da empresa. Pois com a eliminação de itens que não são imediatamente conversíveis em moeda, como estoque, é possível eliminar um recurso incerto.
ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Liquidez corrente
LC = AC/PC
1,22
1,28
1,27
1,12
0,79


Liquidez Corrente
Liquidez Corrente (LC) é o índice utilizado para se obter o valor que expressa à composição dos ativos correntes contra os passivos que tem o menor prazo de vencimentos. Seu resultado é extraído pela seguinte fórmula:
LC = Ativo Circulante / Passivo Cicrulante


De acordo com a Lei das Sociedades por Ações estão contidas as disponibilidades, os direitos realizáveis no curso do exercício social subsequente e os valores aplicados em despesas do exercício seguinte. Por este índice é permitido ver se a empresa está tendo condições de honrar com suas dívidas em curto prazo. Consegue-se saber também se a empresa precisará fazer empréstimos, por exemplo.
Por relacionar quantos reais estão imediatamente disponíveis e conversíveis em curto prazo com relação às dívidas de curto prazo, torna-se um índice muito divulgado e frequentemente considerado como o melhor indicador da situação de liquidez da empresa. É preciso considerar que no numerador estão incluídos itens tão diversos como: disponibilidades, valores a receber á curto prazo, estoques e certas despesas pagas antecipadamente. No denominador estão incluídas as dívidas e obrigações á curto prazo. [IUDÍCIBUS, 2012].
Esse índice mostra quanto à empresa possui de Ativo Circulante para cada R$ 1,00 de Passivo Circulante. O parâmetro é de que “Quanto maior melhor”. Para se calcular a liquidez corrente, divide-se o Ativo Circulante pelo Passivo Circulante. Ativo Circulante é composto pelos valores de giro ou de movimentação da entidade. Iudícibus (2013) argumenta ainda que é frequentemente considerado como o melhor indicador da situação de liquidez da empresa.
Neto (2012), nos orienta que a liquidez corrente sempre indicara o quanto existe de ativo circulante para cada R$ 1,00 de dívida a curto prazo.
Assim ao se concluir a análise deste índice será encontrada a situação da empresa para saldar suas dividas a curto prazo, então quanto maior o quociente encontrado melhor estará a empresa analisada.
ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Liquidez corrente
LC = AC/PC
1,22
1,28
1,27
1,12
0,79


Liquidez Geral
Para obter o valor que expressa à composição do índice de liquidez geral a Ciência Contábil utiliza-se da seguinte fórmula:
LG = (AC + RLP) / (PC + ELP)


Evidencia-se por este índice quanto à empresa possui de Ativo Circulante somado ao Ativo Realizável no Longo Prazo para cada R$ 1,00 de dívida total. Seu parâmetro diz que “quanto maior melhor”, devendo a este quociente servir para detectar a saúde financeira (no que se refere a liquidez) de longo prazo do empreendimento” [IUDÍCIBUS, 2013].
Mas segundo Neto (2012), esse índice demonstra tanto a liquidez no curto prazo, quanto a liquidez no longo prazo, uma vez que demonstra o quanto a empresa mantém de dívida para cada R$ 1,00 existe de direitos e haveres no ativo circulante e no realizável a longo prazo. Ainda de acordo com o autor, o índice de liquidez geral é considerado um índice capaz de identificar a segurança financeira da empresa, porque revela a sua capacidade de quitar as dívidas de curto e longo prazo.


ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Liquidez Geral
LG = (AC+RLP)/(PC+ELP)
1,26
1,29
1,28
1,31
1,16


Solvência Geral
A obtenção do índice de solvência geral se dá pela equação a seguir:
SG = Ativo / (PC + ELP)


Conforme Neves (2001), solvência geral indica que para cada real de dívidas totais com terceiros, a empresa dispõe de um valor calculado y no ativo total para pagar, ou seja, para cada valor calculado y que receber paga R$ 1,00 e sobram o resto do valor calculado y-1.Se o grau de solvência for: Igual a um, estaria operando em estado de situação nula; Menor que um, a empresa seria insolvente, ou seja, estaria em estado de passivo a descoberto; Maior que um, quanto mais elevado, melhor será a situação da empresa.
ÍNDICES DE LIQUIDEZ
FÓRMULA
2.010
2.011
2.012
2.013
2.014
Solvência geral
SG = ATIVO/(PC+ELP)
1,31
1,33
1,31
1,33
1,32