terça-feira, 18 de abril de 2017

Conceito de contas e plano de contas


A conta é o instrumento de registro que tem por finalidade reunir fatos contábeis da mesma natureza, sendo aberta para encerrar os valores de realização passada, presente ou futura, recebendo um título que a identifica.
Contas são elementos do patrimônio que merecem registro e controle individualizado. Cada grupo de elementos semelhantes, integrantes do patrimônio, é considerado de forma conjunta como uma “conta”, para possibilitar o registro e controle dos respectivos aumentos e reduções de valores, decorrentes da ocorrência de fatos contábeis. Assim, por conta entende-se um nome que agrega elementos patrimoniais de características semelhantes e que, por isso, demandam controle e acompanhamento conjunto, e em separado dos demais elementos patrimoniais. Como exemplo, tem-se os mais comuns itens formadores de contas no Balanço Patrimonial e na Demonstração do Resultado do Exercício:
  • - o nome Veículos, para designar a conta que comporta os elementos patrimoniais que possuem caracte­rísticas que permitam sua classificação como veículos (automóveis de passeio, utilitários, caminhões, motocicletas, etc.);
  • - o nome Estoques, para designar a conta que comporta os elementos patrimoniais que tenham a carac­terística de serem destinados à venda ou ao consumo no curto prazo (mercadorias, produtos, matéria-prima, itens de almoxarifado, etc.);
  • - o nome Máquinas e equipamentos, para designar a conta que comporta elementos patrimoniais que te­nham por características o uso nas atividades industriais ou administrativas como, por exemplo, com­putadores, prensas, serras, caldeiras, etc.;
  • - o nome fornecedores, para designar a conta que indica a obrigação de pagar um valor aos fornecedores pela aquisição (a prazo) de bens (mercadorias, matérias-primas e produtos).
  • - o nome Receita bruta de vendas, designando um motivo pelo qual o patrimônio aumentou durante um determinado período de tempo – a realização de operações de venda;
  • - o nome Receita de aluguéis, designando também um motivo pelo qual o patrimônio aumentou durante um determinado período de tempo – a realização de locação de imóvel para terceiros;
  • - o nome Custo da mercadoria vendida, designando um motivo pelo qual o patrimônio diminuiu durante um determinado período de tempo – a entrega a clientes de mercadorias que estavam no patrimônio da empresa.


Contas Analíticas e Contas Sintéticas

As contas, propriamente ditas são denominadas contas analíticas, que são aquelas que demandam controle e acompanhamento em separado das demais. Resumidamente, são as contas em que são lançados ou construídas as partidas dobradas. Por exemplo, para o pagamento de uma despesa com energia elétrica pode-se lançar o valor a débito em despesa com energia elétrica e a crédito contra caixa, pelo mesmo valor. O valor reduzido do caixa influenciará no tamanho do ativo circulante, da mesma forma que a despesa aumentará o rol de despesas, diminuindo o resultado do exercício, que por sua vez irá menor ou negativo para o patrimônio Líquido, deixando o Passivo menor na mesma proporção à diminuição do caixa.
Assim, para cada fato contábil ocorrido, serão alterados os valores patrimoniais das respec­tivas contas analíticas envolvidas. Exemplificando mais uma vez, mas desta vez para a parte de aquisições, quando há compra de móveis a prazo: a conta analítica que representa móveis (conta Móveis e utensílios1) tem seu valor patrimonial aumentado, pela entrada de novos móveis no patrimônio; e - a conta analítica que representa a obrigação de pagar pelos móveis (conta Fornecedores ) tem – também – seu valor patrimonial aumentado, pelo surgimento da obrigação de pagar pelos móveis adquiridos a prazo.
É, mas se as contas menores e onde são realizados os lançamentos, por assim dizer, são as contas analíticas, o que seriam as contas sintéticas? Uma conta sintética é um nome que referencia, ou melhor dizendo, sintetiza um conjunto de contas analíticas com características comuns ou utilidades semelhantes de uma única vez. Ou seja, forma os primeiros grupos por associações entre as contas – associação essa delineada no plano de contas. Assim, o valor patrimonial de uma conta sintética é igual à soma (algébrica) dos valores patrimoniais das contas analíticas que a compõem.
São exemplos notórios de contas sintéticas as contas denominadas (1) Ativo, (2) Passivo e (3) Patrimônio Líquido, já referenciadas em nosso estudo. A conta sintética Ativo tem um valor patrimonial equivalente à soma dos valores patrimoniais de todas as contas analíticas que representam recursos (bens/direitos). A conta sintética Passivo tem um valor patrimonial equivalente à soma dos valores patrimoniais de todas as contas analíticas que representam obrigações.
Resumindo, contas sintéticas são conjuntos formados por contas analíticas e, ao contrário, contas analíticas são elementos de conjuntos representados por contas sintéticas.


1Englobam contas de móveis e utensílios os equipamentos domésticos (usados dentro de casa ou empresa, isto é apenas ambientes internos) para uso no dia a dia, que vão desde micro-ondas a liquidificadores, esteiras para o caixa de supermercados, ventiladores, ar-condicionado, tudo que possa ser transportado sem causar quebra-quebra. Os bens como móveis por sua vez, nada mais são do que armários, estantes, poltronas, cadeiras para escritórios, camas para hotéis.