quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Criando modelos para autoformatação no LibreOffice

O LibreOffice não cansa de nos surpreender com seus recursos. Ao ler algumas dicas da Revista LibreOffice Magazine encontrei duas dicas que eu não conhecia e são bem úteis, principalmente a segunda. Na edição de número 02, de dezembro de 2012 encontrei dicas de inserção de fórmulas em tabelas do Writer (é, o editor de texto, não a planilha) e como criar uma formatação automática para um quadro ou tabela. Não lembro se o Microsoft Word tem essa função e pessoalmente, nem me importo, pois afinal de contas, não uso a suíte da bilionária norte-americana. Bem, então caso você leia a revista que usei na fonte, fique sabendo que o que fiz aqui é apenas compartilhar o conteúdo. Montei minhas tabelas e testei as funcionalidades para testar, até porque a versão do tutorial deles era mais antiga que a minha.

Para começar, vamos mostrar que dá para inserir fórmulas numa tabela. Vamos supor para tanto um preenchimento das lacunas no quadro a seguir:
Descrição
Valor
Quantidades
Valor total
Computador de mesa
R$ 1.100,00
10
0
Impressora
R$ 120,00
2

Totais



Numa planilha eletrônica (que logicamente é muito superior que usar fórmulas simples no Writer) seria fácil preenchermos as células vazias da coluna de total com =célula_que_tem_valor*célula_que_tem_quantidade. Por exemplo, se o valor de R$ 1.100,00 estivesse em B2 e 10 em C2 apenas usaríamos =B2*C2, que nos retornaria R$ 11.000,00. mas como faríamos isso numa tabela em modo de texto no LibreOffice Writer? A resposta começa da mesma forma que faríamos no Calc, e o mais legal é que leva em conta até mesmo a posição das células. Assim, clicamos na célula em que será feito o primeiro cálculo e digitamos o = (igual). Só isso já é o suficiente para que se abra a barra de fórmulas parecida com a planilha do LibreOffice Calc.
Lá entramos com a fórmula do mesmo modo que faríamos na planilha, tendo em mente como a nossa tabela ficaria se ficasse na parte superior esquerda de uma planilha. Ou ainda melhor, com o mouse clicamos na primeira célula que contém os dados, digitamos o símbolo de multiplicação (*). Na sequência damos um clique na segunda célula e terminamos dando enter para confirmar.
Só que é preciso salientar que em caso de digitação manual da fórmula devemos colocar as células em destaque, dentro dos símbolos de maior e menor:<B2>*<C2>. Caso precisemos alterar a fórmula, teclamos o F2 e isso habilita a célula para edição, da mesma forma que fazemos com o Calc.
O resultado é a tabela a seguir, que contém as fórmulas =<B2>*C2> e =<B3>*C3> para os cálculos dos valores totais de cada item na coluna de quantidade total e =<B2>+<B3> e =<c2>+<c3> para as linhas de totais.
Descrição
Valor
Quantidades
Valor total
Computador de mesa
R$ 1.100,00
10
11000
Impressora
R$ 120,00
2
240
Totais
1220
12
11240
Essa dica foi apresentada pela Eliane Domingos para a revista LibreOffice Magazine, que pode ser baixada no site do LibreOffice em https://pt-br.libreoffice.org e agora apresentamos nossas obervações sobre a funcionalidade, com prós e contras:
Benefícios:
  • Útil quando precisamos inserir dados numa planilha já feita e com poucos dados, sem a necessidade de ter que abrir outro programa, criar o que queremos lá, selecionar, copiar e colar em nosso texto;
  • A lógica é bem simples, tal como seria se estivéssemos numa planilha de verdade, sendo que também poderíamos usar o conceito de autossoma =sum<B2:B3> para os totais da última linha;
  • Você não precisa editar com F2 para ver as fórmulas usadas, sendo que para consultar o que foi feito basta levar o cursor do mouse sobre as células que o seu conteúdo aparecerá, como as dicas do LibreOffice.
Pontos fracos:
  • Não é possível digitar a fórmula dentro da própria célula, apenas na barra superior, o que pode atrapalhar para quem está acostumado ao Calc, além do fato de as funções serem mais limitadas;
  • Só é bom caso a sua tabela tenha poucas fórmulas, uma vez que não dá para copiar o conteúdo para células de baixo ou copiá-las atualizando-as, como na planilha eletrônica. Nesta devemos editar fórmula por fórmula, sempre dando enter após para confirmar a inserção.
E finalizado o assunto passaremos à segunda dica: a autoformatação de tabelas. Esta nós adaptados do texto de Júlio Neves, na mesma edição da revista. O objetivo aqui é simples: criar um modelo de formatação para nos ajudar em tarefas diárias.
Para tanto, vamos pegar a tabela anterior e imaginar como seria ter que formatá-las linha por linha para uma apresentação com “mais presença”. Como foi feito na dica da Eliane Domingos, seguiremos o tutorial do Júlio até mesmo para ver se as funções daquela época (2012) funcionam hoje (2016). ma matéria o acima citado autor criou uma tabela 5x5 sem qualquer formatação, para aplicar estilos.
A tabela a seguir é bem simples e é a base para a formatação:
É claro que não nos deteremos no processo de formatação, até porque isso aí é coisa menos importante, uma vez que cada um faz do jeito que considerar mais adequado. Após as nossas formatações a tabela ficou assim:
Item
Fornecedor
Valor Unit.
Quantidade
Total
Monitor
LG
390
10
3900
Impressora
HP
850
5
4250
Tablet
Samsung
1090
3
3270
Total Geral
11420
A tabela está pronta, ficou bonitinha, mas vale lembrar que deu trabalho para fazer, mesmo sendo pequena. Imaginemos uma tabela com mais de cem linhas, ter que formatar grupos de linhas e colunas toda hora e ainda mais, num dia de trabalho bem corrido. É algo que não seria produtivo. Como o autor da matéria original escreveu, “essa tabela faz parte de um relatório que quero causar uma boa impressão (não adianta pensar que é para puxar saco, que não é. Quero o melhor para o meu querido chefe), vou dar-lhe uma aparência de 3D. Para tal vou alternar matizes de cinza no fundo das linhas e nas margens. Vamos à primeira linha de dados (cabeçalho e rodapés ficam para depois), vou fazê-la com fundo cinza 30% e com a margem inferior cinza 70%”.
O caminho aqui para se formatar é selecionar a parte que se pretende formatar (que pode ser uma célula, uma coluna, várias células ou colunas ou a tabela inteira mesmo), clicar com o botão direito do louse e no menu que se abrirá, escolher Propriedades da tabela. Em seguida pode-se escolher a aba que tem o campo que se quer formatar.
Aqui cabe salientar que quanto maior a tabela, mais trabalho se terá para formatar. Então sem mais enrolação, vamos ao que interessa.
Na dica do autor o trabalho para se criar uma autoformatação começa pela seleção da tabela com o mouse e clicando no menu Tabela » Autoformatar. No entanto, ao testar na versão mais recente do LibreOffice não encontrei essa opção. Por outro lado, a funcionalidade só teve o caminho modificado: em vez de haver um item chamado Autoformatar em Tabela, temos que procurar por Estilos de Autoformatação – que funciona do mesmo jeito.
Para criar uma nova autoformatação nada mudou das versões mais antigas para as mais recentes. Basta clicar no botão adicionar, com a nossa tabela bonita e formatada anteriormente selecionada. Nesse momento aparecerá por cima deste diálogo a caixa Adicionar autoformatação. O que ocorre: o sistema do LibreOffice vai entender que aquela formatação deverá ser adicionada como um novo modelo para ser armazenado e usado em futuras tabelas sem qualquer formatação. Basta finalmente escolher o nome e dar OK.
Da próxima vez que você for montar outra tabela e desejar usar esta formatação que acabamos de fazer, tudo o que precisará fazer é levar o mouse até o menu Tabela » Inserir » Tabela. Na caixa de diálogo escolha as quantidades de linhas e de colunas e clique em Autoformatar. Na nova caixa de diálogo de autoformatação procure pelo o nome do estilo que você adicionou, selecione-o e confirme. 
Para resumir, o vídeo a seguir apresenta todo o processo:
Assim sua nova tabela já virá pre formatada.